19 de junho de 2010

Gravador de áudio portátil

Até recentemente a mídia mais utilizada em gravadores de áudio portátil era a fita magnética.

A mais popular e que teve um reinado por várias décadas foi  a fita Compact Cassette, mais conhecida como fita cassete de áudio (Audio Cassette Tape), lançada pela Philips em 1962. Até hoje é possível encontrar em algumas lojas, inclusive no Japão. Por ter uma boa qualidade de áudio, foi muito utilizada para gravações de músicas, principalmente cópias de discos de vinil para ouvir em carro ou em Walkman.

A sua deficiência em altas frequências (agudos) foi compensada, para obter áudio de alta fidelidade, utilizando fitas metálicas, como dióxido de cromo (CrO2), junto com a tecnologia de redução de ruídos de alta frequência da Dolby Laboratories, chamada de Dolby NR (Noise Reduction - redução de ruído). Com Dolby NR, as frequências mais altas são gravadas em intensidades maiores, seguindo uma certa curvatura (quanto mais alta a frequência, maior a intensidade), e que na reprodução são atenuadas fazendo a compensação, reduzindo assim os ruídos de alta frequência, ou seja, o mesmo princípio utilizado em discos de vinil com a curva RIAA. Se deseja conhecer melhor esta tecnologia, veja em Dolby NR.

Depois surgiram diversas fitas menores como Mini Cassette, também lançada pela Philips em 1967; Micro Cassette, lançada pela Olympus em 1969, que usa uma fita similar à Compact Cassette, porém mais fina, e Pico Cassette, que é quase metade da Micro Cassette, lançada pela Dictaphone com apoio da JVC em 1985. São pequenas, e não têm qualidade de áudio suficiente para utilização em música de alta fidelidade, apesar de Olympus ter lançado Micro Cassette de metal para estéreo Hi-Fi (High Fidelity - alta fidelidade). Os gravadores que utilizam estas fitas são normalmente mono e mais utilizados para gravação de ditado, aula, entrevista, seminário, etc., ou seja, para gravação de voz, e por isso são conhecidos como gravadores de voz (voice recorder). Algumas fitas chegaram a ser usadas também para dados.

Depois da introdução do CD (Compact Disc) em 1982, começam os áudios digitais. Em 1987 a Sony lançou a fita DAT (Digital Audio Tape) que fazia uma boa gravação de áudio em LPCM (Linear Pulse Code Modulation) sem compressão, na amostragem de até 48KHz/16bit, mas nos estúdios chegaram a ter gravações com amostragem de até 96KHz/24bit. Conseguia fazer cópia perfeita de um CD. Além de equipamentos caros, o receio de cópias piratas, deixaram esta fita mais restrita ao uso profissional.

Na tentativa de popularizar, como foi a fita Compact Cassette analógico, foram lançados em 1992, DCC (Digital Compact Cassette) pela Philips e Matsushita (Panasonic), que era compatível com Compact Cassette analógico (backward compatible) e como concorrente o MD (MiniDisc) pela Sony. Ambos usavam compressão com perda (lossy), DCC com PASC (Precision Adaptive Sub-band Coding) baseado em MP1 (MPEG-1 Audio Layer 1) e MD com ATRAC (Adaptive TRansform Acoustic Coding). Alternativas mais baratas do que a DAT, mas não obtiveram sucesso esperado, a fita DCC ficou mais popular na Europa, principalmente na Holanda (descontinuada em 1996) e MiniDisc no Japão e alguns países da Ásia. Foram produzidos pouquíssimos gravadores portáteis.

Nos anos de 1990, com a redução constante de preço dos cartões de memória flash, como SD e Memory Stick, e contínuo aumento na sua capacidade de armazenamento, começam a surgir gravadores digitais utilizando estes cartões como meio de armazenamento. Como o objetivo é gravação de voz, ficou conhecido como Digital Voice Recorder (gravador digital de voz) ou IC Recorder no Japão.

Veja mais detalhes sobre alguns formatos mencionados em Som: Analógico x Digital.

Gravador de áudio LPCM

Os gravadores de áudio de alta definição estéreo, são conhecidos como Digital Audio Recorder (gravador de áudio digital) ou LPCM Recorder (gravador LPCM), apesar de muitos chamarem de Digital Voice Recorder.  Os áudios analógicos captados pelos microfones são digitalizados em LPCM, normalmente nas amostragens de 44.1KHz, 48KHz ou 96KHz em 16bit ou 24 bit, e armazenados sem compressão em arquivo WAVE ou WAV (extensão .wav), ou seja Waveform Audio File Format (formato de arquivo de áudio em forma de onda), que tem alta qualidade e facilidade na edição e manipulação através de software bastante simples. A maioria também grava em MP3 (MPEG-1 Audio Layer 3). São armazenados em memórias internas ou removíveis que são normalmente SD/SDHC de até 32GB. Tem conector USB 2.0 para poder transferir o arquivo para PC. São aparelhos muito utilizados para gravações de músicas ao vivo, sons da natureza  e também de áudio complementar de alta definição de uma filmagem.

Têm microfones integrados, na maioria direcionáveis de boa qualidade, normalmente de condensador (condenser), mas possuem entrada para conectar microfones externos. Alguns gravadores mais sofisticados disponibilizam também o conector tipo XLR, desenvolvido pela Cannon (hoje empresa da ITT Corporation, não confundir com a Canon) para conectar microfone profissional. Por ser gravadores de alta definição, precisam ter resposta de frequência até por volta de 40KHz (para amostragem de 96KHz/24bit).

Eles também funcionam como players, ou seja, através de fone de ouvido é possível ouvir tanto a gravação realizada, como também músicas nos formatos MP3, WMA ou LPCM. É um DAP (Digital Audio Player). Alguns aparelhos têm alto-falantes.

A Sony lançou em 2005, o seu Portable Linear PCM Recorder, PCM-D1 que grava em WAV e MP3 na memória interna de 4GB, podendo aumentar adicionando Memory Stick Pro HG Duo, com medidor de volume analógico, conector de entrada e saída digital óptica, a preço salgado de US$ 2,000.00. Mais tarde lançou o modelo simplificado, PCM-D50 com praticamente as mesmas características a um preço mais acessível de US$ 600.00. Mais detalhes veja no site da Sony.

Na ilustração ao lado temos alguns gravadores com amostragem de até 96KHz/24bit. EDIROL (Roland) modelo R-09HR, que grava em WAV e MP3 em memória SD/SDHC, que custa em torno de US$ 450.00. Olympus LS-11, que grava em LPCM, MP3 e WMA, tem memória interna de 8GB, podendo adicionar cartão SD/SDHC, preço em torno de US$ 400.00. Sanyo ICR-PS605RM, Xacti Sound Recorder, grava em LPCM e MP3, com 6 microfones, vem com memória interna de 4GB, podendo adicionar micro SD/SDHC, preço de ¥37.800 (US$ 400.00). Se desejar mais detalhes dos produtos, veja nos sites da EDIROL, Olympus e Sanyo.

Ao lado temos gravadores profissionais com conector para microfone opcional tipo XLR, com amostragem de até 96KHz/24bit. Marantz PMD661, Professional Portable Field Recorder, que grava em WAV e MP3 em cartão de memória SD/SDHC, que custa US$ 599.00. Tascam (Teac Professional) DR-100, Portable Digital Recorder, que grava em WAV e MP3 em memória SD/SDHC, vem com 4 microfones (2 cardioides e 2 omnidirecionais de condensador), preço em torno de US$ 430.00. Mais detalhes  nos sites da Marantz e Tascam.

Da KORG temos o High Resolution Mobile Recorder, modelo MR-2. Faz gravação multiformato LPCM, MP3 e MP2, incluindo SACD (Super Audio CD) em DSD (Direct Stream Digital) 2.8224MHz/1bit. Em LPCM as amostragens são 44.1KHz e 48KHz em 16bit e 24bit e 88.2KHz, 96KHz, 176.4KHz e 192KHz em 24bit.  Grava em cartão de memória SD/SDHC de até 32GB. A resposta de frequência é de 10Hz a 40KHz em LPCM e de 10Hz a 100KHz em SACD, preço de US$ 900.00. Se deseja mais detalhes, veja no site da KORG.


Atualizações

17/set/2011: A Roland anuncia um novo LPCM Recorder R-26, que pode gravar até 6 canais simultaneamente. Possui 2 tipos de microfones estéreo (omnidirecional e direcional) embutidos e entrada para microfone estéreo XLR/TRS externo. Além de separado ou combinados pode gravar os 6 canais (3 estéreos) ao mesmo tempo, que são armazenados em arquivos diferentes, e depois poderá fazer mixagem. Os formatos são WAV e BWF em até 96KHz/24bit e MP3 em até 320Kbps, que são armazenados em cartão de memória SDHC. Resposta de frequência de 20Hz a 40KHz. Deverá estar disponível no mercado, em meado de outubro, custando em torno de US$ 599.00. No Japão, foi anunciado o início da comercialização, a partir de 23 de setembro, com expectativa de preço em torno de ¥45.000. Mais detalhes do produto no site da Roland.


Veja também:
Digitalização de imagem e som
Compactação ou compressão de áudio e vídeo
Som: Analógico x Digital
Áudio puro
Microfone


  

Nenhum comentário:

Postar um comentário